Rede Corporativa
, 03 de outubro de 2022.
20/07/2019
Retratos das Misericórdias
Santistas na Revolução de 1932
Santistas na Revolução de 1932
Santos in the Revolution of 1932
 
Henrique Ivamoto
Várias ruas da cidade de Santos homenageiam seus soldados constitucionalistas: Ivampa Duarte Lisboa (Bairro do Boqueirão), João Pinho (Boqueirão), Carolino Rodrigues (Boqueirão), Thiago Ferreira (Boqueirão), Dagoberto F. de Gascon (Boqueirão), Voluntário Santista (Boqueirão), Alfredo Schammas (Marapé), Januário dos Santos (Aparecida), Alfredo Albertini (Marapé) e Tenente Eduardo Alves Durval Amaral (Jardim Rádio Clube).


     


Ivampa Duarte Lisboa, tio do distinto colega da Santa Casa da Misericórdia de Santos Dr. Arimar Duarte Barbosa, nasceu em Santos em 1910 e recebeu treinamento militar no chamado Tiro Naval. Em seu treinamento, distinguia-se pela coragem e pelo amor à terra natal. Numa batalha em que seu pelotão investiu contra e conquistou uma posição federalista, foi ferido e faleceu em 31 de agosto de 1932.  A Rua Ivampa Lisboa situa-se entre a Eloi Fernandes e a Avenida Washington Luís, no bairro Boqueirão. A distinção resultou de um projeto de lei apresentado à Câmara Municipal presidida pelo Dr. João Carlos de Azevedo. Considerado um Herói da Revolução Constitucionalista, o projeto foi aprovado por unanimidade, sem debates. A lei foi sancionada pelo Prefeito Iguatemi Martins em 1937.



      
 
   
 



   


Na base do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932, mais conhecido como Obelisco do Ibirapuera, homenageando os jovens paulistas mortos em batalha, há uma inscrição cuja autoria tem sido atribuída ao poeta e soldado constitucionalista Guilherme de Almeida ou ao jornalista Antonio Benedicto Machado:

"Viveram pouco para morrer bem
Morreram jovens para viver sempre"

 

     


        


            
 

Atalhos da página

Revista Acta Medica Misericordiæ
A Revista das Santas Casas
Rede Corporativa e-Solution Backsite