Rede Corporativa
, 03 de outubro de 2022.
29/07/2019
Retratos das Misericórdias
A Santa Casa da Misericórdia de Santos em 2019

A Santa Casa da Misericórdia de Santos em 2019

The Hospital of the Santa Casa da Misericordia de Santos in 2019

Henrique Ivamoto

Fundado por Brás Cubas em 1543, a Santa Casa da Misericórdia de Santos é o mais antigo hospital brasileiro.

Ariovaldo Feliciano, economista, advogado e contabilista, assumiu a direção da Santa Casa de Santos em 18 de fevereiro de 2016. A Santa Casa recebia pelo SUS, via Prefeitura de Santos, R$ 5 milhões mensais e mais R$1,7 milhão do Governo do Estado, o que representava cerca de 30% das receitas da entidade que girava em torno de R$ 23 milhões/mês.
Segundo entrevista publicada no jornal A Tribuna, quando assumiu, o hospital apresentava um prejuízo mensal de R$ 5 milhões, mas desde julho daquele mesmo ano já passou a apresentar superávits e a dívida inicial de R$ 400 milhões começava a declinar. Equipamentos médicos antigos começavam a ser substituídos.

Segundo o provedor os resultados positivos resultaram de um choque de gestão empresarial: “É uma entidade filantrópica, não é para dar lucro, mas também não pode dar prejuízo”.

Para manter a condição de instituição filantrópica e usufruir de isenção de impostos, é preciso que pelo menos 60% de seus pacientes sejam atendidos pelo SUS.

Desde que assumiu em 2016, houve implantação de ressonância magnética e de dois novos equipamentos de tomografia computadorizada, foi criada uma nova e ampla sala de emergências, reforma da central de diagnósticos e da farmácia, troca da iluminação por lâmpadas de led com economia elétrica, melhoras na hotelaria, criado um plano de saúde para seus funcionários, implantação dos sistemas Datamatrix e Bionexo e dispensadores. Através de negociações com os fornecedores, houve uma redução significativa nos custos de stents e de outros insumos, mantendo a qualidade. Revisões dos contratos com as operadoras de planos de saúde resultaram em aumento significativo do seu faturamento nas contas hospitalares, que representavam 4,86% em 2016 e passaram para 19,25% em 2017.    

O atendimento mensal médio é de 2.500 internações, 18.700 consultas em Pronto Socorro, 13.700 consultas ambulatoriais, 1.800 cirurgias, 122 partos. 730 leitos ativos, dos quais 376 destinados ao SUS. 3 centros cirúrgicos (central, obstétrico e oftalmológico). 20 salas operatórias.


Abaixo, as diversas diretorias:

Mesa Administrativa
Provedor: Ariovaldo Feliciano
Vice-Provedor: Luiz Simões Polaco Filho
1º Tesoureiro: João Domingos Neto
2º Tesoureiro: Carlos Alves Queiroz
1º Secretário: Carlos Teixeira Filho
2º Secretário: Antonio Carvalho
Mordomo Geral: João Galluzzi Baltazar
Procurador-Geral: Raphael Vita
 
Conselho Geral
Presidente: José Maria Pires Valdívia
Vice-Presidente: Eraldo Aurélio R. Franzese
1º Secretário: Fúlvio Casal
2º Secretário: Florival Amado Barletta
 
Conselho Deliberativo
Presidente: Elias Antonio Jacob
Vice-Presidente: Écio Lescreck
1º Secretário: José Alberto Clemente Jr.
2º Secretário: Mário Ferreira dos Santos
 
Diretoria
Diretor Administrativo e Financeiro: Augusto Capodicasa
Diretor Técnico: Alex Gonçalves Macedo
Diretor Clínico: Constantino Kader Conde
Gerente Jurídico: Aldo dos Santos Pinto
Diretor de Ensino e Pesquisa: José Luiz Camargo Barbosa
Gerente Administrativo: Octavio Tavolaro Filho
Presidente do Plano Santa Casa Saúde: Paulo Wiazowski Filho
 
REFERÊNCIAS
1) Martins M. Santa Casa de Santos sai do vermelho. A Tribuna, publicada em 20 de outubro de 2016, p. A-3.
2) Santa Casa de Santos: Superação, Credibilidade e Comprometimento. 2018.
3) Santa Casa 475 anos. A Tribuna, 4 de novembro de 2018.






 

Atalhos da página

Revista Acta Medica Misericordiæ
A Revista das Santas Casas
Rede Corporativa e-Solution Backsite